segunda-feira, 11 de abril de 2011

Em Defesa De Pandora



Apenas o tempo e eu
Talvez um mundo inanimado qual tento dar vida
Frágil existir
Entre Tom Sawyer e Heigs
Ou em aventuras, ou sentindo o 'uivar' dos ventos
Apresento-me como alguém que deseja ser conhecido
E desisto quando apenas querem que eu os conheça
Devo me aventurar por Lilliput e em tais futilidades?
Ou simplesmente ser intermediário entre dunas escaldantes?
Creio que meus perguntares e responderes
Romperam em fuga e pleiteio agradeçer à Pandora
Não que queira me isentar de meus próprios males
Mas pleiteio assumir tal exposição de males
Pleiteio abrir minha prória caixa
E atravéz dela
Expor a cada ser
Sua própria caixa!


Arte: Pandore, par Jules Joseph Lefebvre, 1882, collection privée


Nenhum comentário: