sexta-feira, 1 de abril de 2011

Verdade Sobre A Amizade (Uma Das!)


São poucas as vezes em que me sinto só. O sentimento de solidão, se torna algo dramático, quanto maior o número de amigos que possuímos... A amizade, muitas vezes, parece ser consolidada mais através de nossas próprias carências, do que pela descrição em si da palavra 'amizade': " Amizade (do latim amicus; amigo, que possivelmente se derivou de amore; amar, ainda que se diga também que a palavra provém do grego) é uma relação afetiva, a princípio, sem características romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade, ao ponto do altruísmo. Neste aspecto, pode-se dizer que uma relação entre pais e filhos, entre irmãos, demais familiares, cônjuge ou namorados, pode ser também uma relação de amizade, embora não necessariamente."(agradeço por existir a Wikipédia, quando menino, teria de andar uns 8 km, só para tentar achar essa informação, isso se conseguisse encontrar na primeira 'biblioteca', se é que ainda se sabe hoje em dia o que isso quer dizer!).
Cada vez que tento definir a palavra amizade em ações, mais complicado se torna. O que não impede ao caro(a), leitor(a), discordar, pois a autenticidade, ainda é para mim, um dos princípios da amizade vivenciada.
Vejo e isso é muito comum, pessoas se dizendo amigas. My Space, Facebook... (que me perdoem as outras redes sociais não citadas aqui!), invadem o mundo virtual, enquanto o verdadeiro sentido da palavra amizade se dilui a cada novo 'espaço' virtual. O espaço vivencial ... Esse, creio que começou a desapareçer, mais ou menos quando deixamos de criar e fazer os brinquedos, para se brincar...
Minha falecida mãe, vivia me dizendo, que suas bonecas eram caroços de manga, que se deixava secar ao sol. Depois se raspavam alguns cabelos em um dos lados para se desenhar bocas e olhos com carvão ou se colar algum retalho de tecido que, (se sobrasse!), das costuras de minha avó. No outro lado, se passava o único pente da família, numa tentativa esperançosa de que os fiapos se parececem com uma 'imitação' de algo que pudesse se chamar de cabelo...
Hoje, 'não mais se existem' imigrantes pobres, sem aconchego. Parecem os 'residentes forasteiros de uma parte qualquer do 'velho' testamento. Todos bem acolhidos ao chegarem de suas 'longinquas' terras de norte nordeste, de qualquer país, de qualquer continente. Na realidade, de qualquer mundo que não é mais 'sub'. E a maior e mais contínuo-crescente emancipação de menores infratores, analfabetos, sem-tetos, sem a menor criatividade passada de pais para filhos, sem jantares em família, sem agressão contra o próximo por não se compreender culturalmente o que o outro quer expressar, sem dúvida nenhuma vai se extinguir. A rede chegou! E com ela, todas as soluções, num simples 'ckick'! A língua estrangeira traduzida em cliques. O diálogo, traduzido em cliques, as próprias manifestações como essa.. cliques!
Estou realmente esperançoso e feliz. Não mais preciso andar 8 km para buscar informações e ainda as uso! Só espero, que nos próximos anos de 'evolução-Luz' em que 'a rede' caminha, sobre-se um pouquinho de espaço para se praticar, fisicamente essa maravilhosa experiência chamada amizade.

Nenhum comentário: