segunda-feira, 9 de maio de 2011

Coração Exposto


Salta à pele o interior em perpétuo sentir
Espõe-se artérias
Tênue linha que separa o respirar do existir
Expõe-se formas
Formatação de valores
Glóbulos maravilhosos que transportam oxigênio
Mãos que, incapazes de agarrar o ar
Conseguem traduzir em pinceladas
Virtuais
Virtuosas
Assim
O que é impossível de se avistar a olho nu
Torna-se pouco à pouco
Materializado em pequenos cliques
E em grandes inspirações




 

2 comentários:

BLOG DO PROFEX disse...

Belíssimo poema, Davi.
Existe em todas coisas uma tênue linha separando o real do verdadeiro.
Mas existe a possibilidade da interpretação, que às vezes foge da lógica e fica à mercê dos sentimentos...
Grande abraço!

Sr do Vale disse...

Davi, é muito bom te conhecer e perceber que a sensibilidade aflora em voce.
A poesia, algo interior é mais do que qualquer coisa, é o maior presente que podemos receber.
Valeu, mesmo.

Gde abraço.