domingo, 13 de novembro de 2011

Dinheiro Paga O Tempo?


Não pude ver o rosto que se guardava da chuva eminente
Trocava passos apressados e estranhamente compassados (para quem usa um 'salto' daqueles)
Esguia, dinâmica e bastante decidida em seu trajeto
Roubou-me o ar!
Não sei porque não a parei!
Terno novo, chuva eminente...
Tempo escasso, tempo é dinheiro!
Mas podia ter parado...
Alguns centavos de meu tempo não me fariam falta...
Apenas alguns segundos de meu extremo senso de direção empresarial...
Chuva eminente, senso ridículo!
Ações em 'queda' na bolsa...
Minha ação, exaurida no compasso do relógio...
... era só mais uma reunião!

Nenhum comentário: