domingo, 6 de novembro de 2011

Leveza, O Objetivo


Quantas palavras guardadas
Quantos sentimentos nunca sentidos
Quantos dias seriam incompletos sem a noite
Quantos 'eus' seriam iguais a alguém
Não sou nada se nunca for eu mesmo
Não sou nada, sem você sendo você mesmo(a)
O que sou, pode e deve ser melhor avaliado em 'parceria'
Sem melhor 'que", mas, melhor diferente
Não existe 'mais gostoso que', apenas gostoso diferente
E mesmo que você não se goste, i'nda gosto de você
Mesmo que não goste de mim, i'nda me gosto
Pois não existe maior deleite e prazer (ariscando ser 'cacófono'), em saber que não ser gostado, significa apenas: não ser compreendido!
E quem sou para me sentir ferido com isso?

Nenhum comentário: