segunda-feira, 4 de março de 2013



"E agora, sou o inferno de mim, sem medos ou receios que me impeçam de ser quem sempre fui. O avesso das pantomimas que tentam me impor por não serem inteiros. Sejam o que queiram! Nada os impede! Mas nunca queiram que sejam os outros, perfeitos para suas insanidades. A mim, chamem-me oque quiserem, nem cócegas me causarão aos meus ouvidos. Eu sou o insano, que comete insanidades ante a insana convicção que possuo. Ao que pensam sobre si, não sei... prefiram olhar mais como insano o que sou integro, doque a própria isanidade que é esse tipo de visão em si mesmos... Fácil ser acusador... difícil, tornar-se o acusado e réu, tentando fazer com que as pessoas olhem-se mais e se analisem, do que agir pelo que lhes é mais comodo... julgar e acusar o outro... E quem me dá esse direito? Todos que me julgam antes de me conhecer.".

Davi Rodrigues - Do vento Ao Tempo

Nenhum comentário: